quinta-feira, 31 de março de 2011

Amargo

O amargo que entrava em meu peito
É de direito por respeito não se ter
Rasgue a frase que sem crase não se ler
O encargo tão amargo de se crer
Acha-se culpa na desculpa que se dar
Dar-se a outra...
face por amar
Aponta ao lado o pecado com um sermão
E não tira de si a mascara...
Mostrando-se sem ela um ladrão...
de sonho, que ofusca o que é ser
É tão amargo que nem culpa deve ter...
 Weskley Jakson
01/04/2011