terça-feira, 16 de novembro de 2010

Ausência

Termobilizo a veemente força da existência.
Nego a morte e se possível uso até a violência
Mais não cairei na Inocência de beijar a morte
E trair a vida seguindo novas tendências.

Analisando os fatos sem esperanças.
Não encontro mais no pensamento a excelência
Estacionado entre o tudo e o nada
Descobrindo o segredo da ausência.

continua... 

Weskley Jakson
24/10/2010

domingo, 31 de outubro de 2010

o não saber

Os meus punhos e meus erros serão meus guias.
O meu pensamento está encoberto de invalidez,
de inutilidade própria e  coletiva.
não me pergunto mais o que fazer...
se soubesse não perguntaria a mim mesmo.

Weskley  Jakson.
31/10/2010  

domingo, 12 de setembro de 2010

O poste do beijo


Um só
Às vezes não me deixo falar
Tento e não consigo ver-me só
É tido como omisso o meu riso
Não vago como indeciso
Não preciso
Basta pensar
Escalar o mais alto paraíso
Submergir nas mais profundas águas do pensamento
Percorrer o infinito
E rever a luz da aurora na escuridão
Acreditar e surpreender
O inacreditável e impossível

Eu só
Sei de mim o bastante para conhecer-me
E mais do que se imagina
Um sorriso revela o céu

Nós dois
Na brecha do portão
Eu toco as nuvens
E o seu gosto transcende o algodão
Quando o seu luminar dá o lugar à escuridão
O meu coração no peito dispara
Parafraseando o céu e a terra
E o poste do beijo
Faz do dia noite e da noite dia
E sempre testemunhará a alegria
Dos apaixonados corações...


Weskley Jakson
09/09/2010-10/09/2010


Imagens: O poste do beijo ( Weskley Jakson)

terça-feira, 24 de agosto de 2010

É só imaginar

















Quero um avião na tela do meu computador
Quero um ar mais puro. Pra poder respirar ar puro
Quero viajar nas asas da imaginação
Pra que quando o mundo acabe não se acabe a inspiração
Pois eu sei que quando se voa, voa contra os nossos limites
Só não existem limites aos nossos palpites
Que são as coisas que mais faz falta
Aqui e agora... Aqui e agora...
Eu vou onde me der vontade ou onde você me levar
Vou onde se pode ir ou simplesmente imaginar
Eu vou andar. Eu andarei.
É só imaginar.

Weskley Jakson
10/06/2010-24/08/2010

Imagem: Pesquisa Google.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Filho dos tempos

  Nos ombros em que carrego a satisfação de um povo feliz
Carrego também a impunidade da vida
 mesmo sendo dela ainda um simples aprendiz.
Confundem o sentido das coisas alegando a relatividade.


Mas sem suor e sem culpa nos aflige,
 jogando a força em nosso peito
A violenta desigualdade.
Desigualdade que afoga o nosso saber.

De quem se queixar quando o nosso menino não aprender
Não suporto mais... Não espero mais...
Esse é o pensamento da minha criança, da sua criança
Que acabam de serem presas por roubar aquele rapaz.

Jogados na calçada com armas nas cabeças
Enquanto dois choravam um dizia:
“Não chorem talvez isso seja por que a gente mereça.”


O seu falou:
“Seu moço tudo isso por causa de uma cerveja?”


O nosso disse:
“Por favor, se for acontecer que aconteça
mas não atire no rosto para que o nosso pai nos reconheça.”


Não faço juízo aqui,
Se nosso filho mereça ou não mereça
Mas falo pra todos
Que antes que aconteça

Pegue o seu filho no braço
E a Deus agradeça
E peça pra que antes que o seu filho cresça
O do seu vizinho vivo amanheça

E que possa viver longe da sentença
E nessa vida tão cruenta
Posso ouvir da mãe que amamenta
O perdão praquele jovem rapaz.

Weskley Jakson
01/02/2010-23/08/2010

sábado, 21 de agosto de 2010

(A promessa)

Interrogo o vento nesta hora:
Onde tavas ontem?
Que não soprou o cabelo da minha menina?
Cumpra-se em mim!  Ó felicidade!
E não faça da vaidade o meu único uso!

Pois confuso não estou mais
Agora sei onde piso
E não faço mais juízo
De ninguém, eu digo.
Pois ainda faço planos de morar no paraíso

De lembranças não quero viver...
Mais pretendo esquecer de morrer
Não, não quero ser eterno
E não importa se serei lembrado
Mais também não ficarei com o meu coração angustiado
Por ter no futuro mágoas do meu passado

Porem aqui minha alma confessa
Não sei se neste mundo terei ainda muito tempo
E nem eu tenho pressa
Mais busco nas palavras o alento
Esperando ainda no vento
O cumprir da minha promessa.


Weskley Jakson
21/08/2010

***
Que se cumpra em nossas vidas
A Promessa

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Sobre a "A pré missa"










"Ainda Lembro na Imagem daquela sombra
          que sempre marcava o chão com a marca de nós dois,
                    e de tanto tempo que pra o eterno é pouco,
                              e no poste a mesma sombra ainda se faz..."


"O que parecia nada
na verdade nunca foi,
eu sempre te amei na eternidade..."












"E estamos sempre juntos
isso sempre foi e sempre será assim.
E o nosso amor está gravado em nossa pele..."


Weskley Jakson
20/08/2010

Imagens: Pesquisa Google.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Insensatez

Na verdade não importa o que falamos
Vamos ser sempre os mesmos
As mesmas mentiras
Contradições
Os risos forçados
Um sentimento vazio
Impedindo a nossa progressão
Nesses últimos dias tem sido sempre assim
Lembranças do passado me fazem esquecer que eu ainda vivo.
Com os olhos fechados vou quebrando passo a passo seu silêncio.
Os beijos que não tive por tolice.
Por timidez o que sofrer não pode.
E por pudor os versos que não disse.
Arrependimento por ser convicto de mais.
Larguei tudo o que tinha
Às vezes até os meus sonhos.
Quem descobriu esse sentimento?
Insensato, tolo que isola nossas forças
Contradiz nosso conhecimento
Entortando a RAZÃO.

Weskley Jakson
10/10/2006

Contradições ou realeza

Ser porque está escrito, 
Ou escrever por que é?
A paixão faz dessas coisas
Frases sem sentido.
Pra quem lê não pra que escreve
Não diria só a paixão
Sim todo o estado em que me encontro
A final nada é por acaso
Tudo tem uma razão
Se algo for quebrado, 
Tem sempre alguém pra consertar
Tudo tem seu tempo
O passado voa deliberadamente. Como um pássaro
Em diversas direções
Mais sempre acaba voltando para o seu presente
Assim como um pássaro para o seu ninho.
 Como entender e pré ver o que a de vim.
Ao ser que me faz chorar
Ao que talentosamente me faz sorrir.
Como reclamar da dor da despedida
Se eu me despeço lembrando o prazer do reencontro
Se tudo tem seu tempo espero que eu não demore muito.
Ser irracional ao ponto de ter razão ao ser assim não é contraditório?


Weskley Jakson Pereira
28/05/2007

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Na esquerda... outros autores

"Lembro-me de que, quando menino, Em uma cidade do interior, os homens se reuniam após o jantar para contar casos. As historias eram fantásticas, e todos sabiam disso. Mais nunca ouvi ninguém dizer: "Você está mentindo". A reação apropriada a um caso fantástico é outra: "Mais isso não é nada..." E o novo artista iniciava a construção de outro objeto de palavras. Faz pouco tempo, dei-me conta de que, naquele jogo, o julgamento de verdade e falsidade não estava, por que as coisas eram ditas não pra significar algo, as coisas eram ditas afim de construir objetos que podiam ser belos, fascinantes, engraçados, grotescos, fantásticos...nunca falsos..."


Texto de: Rubem Alves

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Dia dos namorados...


O caráter indecifrável do amor é bastante atraente pra mim. Falar nele é viajar em um universo claro, bem claro. Porém, desconhecido e assustador. Você apareceu quieto e discreto. De repente tornou-se eufórico. E como por impulso me seduziu em questão de segundos. Engano-me. Tal amor só foi possível através de muitos projetos. E com articulações minuciosas do Criador. Que lindo arquiteto!
Não demorou a mostrar-me tua. Excentricamente. Cai em teus braços. Afrouxei os laços. Desatei os cadarços. Planejei devorar a saudade. Inventei sonhos. Tudo isso para chegar ao teu coração. Enlaçá-lo ao meu. Unir no mais profundo sentido de eterno.
Gritei no olhar silencioso. Deixei bilhetes anônimos em cada conversa. Indiretas tão diretas. Uma paixão que ganhava cada vez mais espaço. O sorriso era fácil. O brilho nos olhos lembrava a criança dentro de mim. Sim, eu fiz de tudo pra chamar sua atenção!
Pensava muito em teus beijos. Nas tuas mãos quentes a me tocar. No teu abraço a abranger-me. Havia quem dissesse que era utópico. Não, não era. Era real.
Escolhemos unir nossos caminhos. Olhar o sol desaparecer no verão. As flores desabrocharem na primavera. As folhas caírem tristes no outono. Sentir o vento frio e tenebroso no inverno. Respirar calmaria. Quis ser para ti todos os segredos ocultos do teu coração. Admirar as cores do teu riso. Pintar corações nas páginas do caderno. Notar os pássaros a cantar e as árvores a dançar. Aguçar os sentidos e perceber o invisível.
Receber beijos. Beijos nas mãos, nas costas, na nuca e na alma. Incautamente te ver fazer amor com minha pele. Amando cada pedaço meu com tua boca. Sorte é ter amor como nosso para se viver. Que de tanto prazer se desmancha ardendo. Juro encher teu corpo de beijos. Incessantemente. Viajar sem bagagem. Alucinada e ansiosa para cruzar todo o percurso. Correr todas as estradas até o destino. Destino de íntimos segredos.
Quero me esconder em teu coração. Guia-me até tal refúgio. Para que eu possa me acolher. Para que minha alma encontre paz em tuas mãos e sossego em teu abraço. Presenteie a mim com beijos que me levem ao mais alto céu. E desejos que alucine meus sentidos.
É estranho amar. Estranho por que não se realiza sonhos com tamanha perfeição. E o amor de verdade não precisa de momentos extravagantes. Precisa apenas de dois corações apaixonados. É capaz de transformar qualquer lugar e momento em puro conto de fadas.  É estranho, mas é absurdamente lindo amar!
E hoje eu tenho certeza que quero te amar até ficar cansada! E no amor, meu caro, não há espaço pro cansaço! Então te amarei até exceder o eterno!
É assim que te quero. Num eterno ir e vim de quereres. Recíproco. Um sorriso aqui e outro ali. Olhares que conversam por longo tempo. Pernas que se encaixam. Beijos de lírios que exalam beleza plena. Eternidade em cada momento.




Graah Witte
12/06/2010

***

Digo em publico para Graáh Witte que ela não é apenas o arrimo da minha vida como ela é toda ela... és não só o motivo da minha canção como a própria... te devo a minha vida... e eu a dou pra ti... TE AMO graáh..."wes'jakson" 


Imagem: Pesquisa google: 

Karla e o computador

















Nuca ti vi, mais sempre te vejo
E sempre que a vejo
É sempre o mesmo manejo de palavras
“Tudo bem como vai, de onde tu és?”
No complemento nem mais um viés
Até que um dia o moço computador
Resolveu do coração de Karla ser doutor
O computador criou vida
Quando olhos assim também criou
E resolveu fazer da Karla
Não mais um espectador
Olhou e viu
A maneira que a doce menina sorriu
Ele passou a chamar-lhe de pequena
Às vezes de anja
Por ela ser assim tão serena
De todas as formas se dizia
A menina que por de tão longe não se via
Passou a ouvir o computador
Pois até então não percebia
Que quem não existia
Era o narrador
Que só conhecia por fotografia
A menina
A melhor amiga do computador.

Weskley jakson
06/07/2010

Imagens: pesquisa Google.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Quem quebrará o silencio

Quem quebrará o silencio
Forte e inseguro que acusa as palavras de não falar
Será que a boca gritará    
Como o mudo que fala melhor através do olhar
ou silenciosamente intimará os ouvidos a presta atenção
em que? Assim pergunta a audição
Nos dilemas que a vida nos impõe
Na falta de nobreza que no silencio não tem
Do dialogo permanente que do nosso corpo não vem
Onde a alma inventa e d’zinventa o sorriso de alguém
Banalizam o nosso riso com uma supérflua alegria sem sentido
Tentando imitar a felicidade.
Por isso busque dentro de você
A coragem na realidade
por que se não serás pra sempre mudo.
Então fale o que vim na sua cabeça,
manifeste o seu desejo com palavras,
não ligue se elas já foram usadas,
o importante é compreender a si próprio,
não tome como nada o tudo que pensamos
se expresse sem medo de errar...
ai sim você provocará mudança
e então será livre de si mesmo.

Weskley Jakson
05/07/2010



sexta-feira, 4 de junho de 2010

Perdão ao acaso
















O acaso que me perdoa
Por que é casualmente que eu encontro solidão
Vez ou outra...
Falando do enredo do viver...
Pra que desiludir?
Se a ilusão alimenta o coração.
Um coração cheio não é igual a um coração vazio.
A mar...
Traga de volta a revolta do sonhar.
Pra que serve deixar triste o olhar?
Ou o amanhã sem um sentido?
A vida envelhece com o seu próprio juízo!
Questione os fragmentos desta contemporânea ilusão.
Prove por “A” mais “B” que o intento das minhas palavras
Não é apenas uma prova de afeição.
Nem muito menos uma simplória paixão
Não passa de amor...
Assim eu lhe afirmo:
Não passa de amor dos mais puros e mais lindos
Se faltar credibilidade aos meus lábios
E sobra confiança em meus punhos.
Será que devo me calar e deitar
E deixar meus garranchos falar por mim?
Embora os questionamentos sejam necessários
Sobre os céus é impossível questionar
Por que só você ainda não percebeu
Que eu nasci para te amar...

Weskley Jakson
18/01/2010


Imagem: poemavalente.files.wordpress.com

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Miss dream
















Seus olhos me lembram de um passado que eu nunca tive.
De um alguém que nunca tive.
Eu e essa minha dificuldade de criar.
Não consigo ver outra coisa que não seja você.
Minha TV transmite apenas sua imagem. (sela)
Meu espelho reflete apenas você
Como você pode me conhecer?
Você mora no outro lado de um planeta
Cujo esse sentimento as fronteiras não pode ultrapassar.
Você ta apenas em meus pensamentos(sela)
Não é fácil não pensar em você
Quando eu olho lindas paisagens e vejo que sua beleza é maior que isso.
Maior que os oceanos e todas as coisas belas
Desta terra de uma beleza grandiosa,
Mais a sua beleza vai além de tudo isso
Além deste paraíso que sem você não existe(sela)
Mais você não me conhece
Mora no outro lado de um planeta
Cujo esse sentimento as fronteiras não pode ultrapassar.
Você estar apenas em meus sonhos.


Weskley jakson
10/10/2005


Imagem: http://recantodasletras.uol.com.br/forum/index.php?topic=3511.1050

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Sentimentos


















Sentado no vazio parque da imaginação
sentindo o sereno vento da confusão
agraciado por alguns lampejos de lucidez
gritei para indignação...
eu sei...
naquela mesma hora o acaso de súbito parou
a solidão atonita assim indagou:
por toda a nossa historia que construímos
desde as premissas de sua vida
conte-nos do que tu sabes?
Há doce solidão que por bondade tem sido minha única companhia.
Lastimo ter que te deixar.
É que em um desses devaneios bobos da vida
Fiquei sabendo de um futuro que por ventura já passou
E agora posso ver que desde o meu futuro passado
Que para sempre o meu presente afagará na beleza do amor
Aos prantos a amigável solidão falou:
Vejo que agora não precisas mais de mim
Deixou-me para chorar pelas tristezas do amor
Pobre garoto desajuizado
Vai seguir o intento do velho poeta aquele sarcástico escritor
A tristeza entra em cena
Palavras do poeta narrador:
E entra consumindo a solidão
Outra vez sendo trocada pelas desventuras juvenis do coração


Weskley Jakson
18/01/2010

quarta-feira, 26 de maio de 2010

(entre o morrer e a vida)


















Temos o temor assim como amamos a teimosia
Amamos o fracasso assim como queremos, nos vangloriar
Como todo um passo que é marcado
Por suas crises de si mesmo
Ardemos no engano do próprio entendimento
Desconhecemos a nossa própria aparência
Confiamos na morte por sua experiência
Sempre sabe a hora de chegar.
Acreditei que não existia limites
Até que então tentei voar.
Detestamos tanto a vida enquanto ela dura
Mais choramos tanto na hora dela nos deixar.
Se o homem chora quando a vida vai embora
Então por que reclamar?
Se ela fica se diz: “ô vida!”
Se ela vai: “por que vida?”
Se voar é possível, eu digo que em vida isso não existe
Mais se pra voar precisa morrer
Eu não farei da minha vida uma tolice
Se quiser viver viva, se quer morrer morra
Mais não faço da vida vã, nem muito menos vivo a toa
Seja feliz, por que não só na morte
Mais na vida também tem coisa boa.


Weskley Jakson
20/04/2010



Caderno velho


















Caderno velho
Sei que ainda tem espaço em ti
Sinto falta de quando te levava pra escola
Todos te conheciam por La, até sabiam seu nome
Caderno velho
Nas suas paginas podem até faltar o assunto da escola
Mais elas estavam preenchidas pela poesia da musica
Caderno velho
Que ainda permite que eu escreva
Entre uma brecha ou outra dos garranchos que escrevi
Os rabiscos que eu fiz ainda estão nele
Ele não me deixou
Lembro daquela garota e da folha que arranquei de você
E nela fiz uma carta contendo juras de amor
Caderno velho
Meu eterno confidente
Nele estão os meus erros meus d’feitos e meus acertos
Mesmo tão velho serves na hora que eu preciso
Quando chega a inspiração logo te procuro
E leio na primeira pagina
“estou aqui”
Ô caderno velho
Eu não te deixo ir sem mim
Há! Caderno velho –para sempre serei
Seu eterno escritor...
                    
                                              Weskley Jakson
                                                 10/10/2009



Imagem: http://sambadegringo.wordpress.com/2009/08/20/a-vida-por-emilia/