quarta-feira, 26 de maio de 2010

(entre o morrer e a vida)


















Temos o temor assim como amamos a teimosia
Amamos o fracasso assim como queremos, nos vangloriar
Como todo um passo que é marcado
Por suas crises de si mesmo
Ardemos no engano do próprio entendimento
Desconhecemos a nossa própria aparência
Confiamos na morte por sua experiência
Sempre sabe a hora de chegar.
Acreditei que não existia limites
Até que então tentei voar.
Detestamos tanto a vida enquanto ela dura
Mais choramos tanto na hora dela nos deixar.
Se o homem chora quando a vida vai embora
Então por que reclamar?
Se ela fica se diz: “ô vida!”
Se ela vai: “por que vida?”
Se voar é possível, eu digo que em vida isso não existe
Mais se pra voar precisa morrer
Eu não farei da minha vida uma tolice
Se quiser viver viva, se quer morrer morra
Mais não faço da vida vã, nem muito menos vivo a toa
Seja feliz, por que não só na morte
Mais na vida também tem coisa boa.


Weskley Jakson
20/04/2010



Um comentário:

Ela.May disse...

" viver... e não ter a vergonha de ser feliz!"

só uma vida vivida em sua plenitude, nos presntiará com uma morte tão feliz quanto em sua eternida!
a vida é para quem tem coragem de vivê-la! a morte é o fim para os covardes, e começo para os que acreditam!