sábado, 21 de agosto de 2010

(A promessa)

Interrogo o vento nesta hora:
Onde tavas ontem?
Que não soprou o cabelo da minha menina?
Cumpra-se em mim!  Ó felicidade!
E não faça da vaidade o meu único uso!

Pois confuso não estou mais
Agora sei onde piso
E não faço mais juízo
De ninguém, eu digo.
Pois ainda faço planos de morar no paraíso

De lembranças não quero viver...
Mais pretendo esquecer de morrer
Não, não quero ser eterno
E não importa se serei lembrado
Mais também não ficarei com o meu coração angustiado
Por ter no futuro mágoas do meu passado

Porem aqui minha alma confessa
Não sei se neste mundo terei ainda muito tempo
E nem eu tenho pressa
Mais busco nas palavras o alento
Esperando ainda no vento
O cumprir da minha promessa.


Weskley Jakson
21/08/2010

***
Que se cumpra em nossas vidas
A Promessa

Nenhum comentário: